Zeca zangado

Não é justo! Isto não é justo! Zeca é assim: não gosta nada dos planos que as pessoas têm para ele. Quando as coisas não saem como esperado, ele dá sempre um jeito de destruir tudo. Mas será que ele é mesmo “genioso”, como gostam de dizer, ou é assim porque ninguém procura saber o que ele quer de verdade? O problema é que Zeca não consegue nem defender seu ponto de vista. Quando não concorda com algo, vai logo soltando fogo pelas ventas e pondo tudo a perder, criando complicações para os amigos e a família. Até que uma ajudinha preciosa, vinda de quem o ama muito, faz com que ele possa compreender o que sente e lidar com suas emoções. Calma, Zeca. Respira!

Poliana

A menina Poliana, com apenas 11 anos, tem muito a ensinar. Após a morte dos pais, ela foi viver com sua severa tia Polly. A mudança foi inesperada para as duas, mas Poliana com seu jeito doce conquistou a todos ao seu redor. No clássico da literatura para jovens leitores, escrito em 1913, é emocionante ver como uma garotinha com uma brincadeira simples – o Jogo do Contente – pode enxergar o lado bom de todas as situações, mesmo quando os outros não conseguem. Aqui é a forte e corajosa menina protagonista que irá mostrar a todos da cidade a importância da solidariedade, do amor ao próximo e de uma atitude positiva em relação à vida. O best-seller mundial agora chega à Escarlate com tradução e adaptação da renomada crítica literária, autora e professora Marisa Lajolo, e projeto gráfico leve e moderno da designer Ana Matsusaki.

Qual é a cor do amor?

O elefantinho cinzento tinha uma dúvida: qual seria a cor do amor? Curioso, perguntou para o avô, para a zebra e para todos os outros animais que encontrava pelo caminho. O dia acabou e o elefantinho cinzento não resolveu a questão. Mas tinha alguém para quem ele ainda não havia perguntado.

Quando Estela era muito, muito pequena

“Quando Estela era muito, muito pequena, ela achava que era uma tartaruga…”. Estela também pensava que as árvores falavam e que as palavras eram formigas correndo para fora das páginas do livro. Quando Estela era pequena, ela não sabia amarrar os sapatos, mas conseguia sobreviver a uma tempestade de neve em pleno deserto, que ficava além da floresta tropical, bem atrás da casa dela…

Quem é ela?

Descubra quem é aquela com braços de polvo que tudo carrega e ouvidos de elefante que escutam a quilômetros de distância. Ela tem juba de leão e nariz de tamanduá. Cuidado, pois ela sente até cheiro de mentirinhas. Já sabe quem é ela? Para ilustrar o livro, Ionit Zilberman usou papelão e outras coisas que guarda em suas caixinhas de trecos: couro para a orelha do elefante, embalagens de comprimidos para as ventosas do polvo, tecidos e rendas.

Ruim pra cachorro!

Após ter de deixar para trás a fazenda do avô e também o cachorro Sortudo, Mateus não está muito feliz com a nova vida em Vancouver, no Canadá. Em seu novo prédio há o aviso: “proibida a entrada de animais”. Então, o menino cria um cachorro imaginário, Fred. Agora, na companhia de Fred, eles devem encontrar uma solução para trazer Sortudo de volta.Ruim pra cachorro! toca em temas comuns aos jovens leitores, como solidão, a adaptação a grandes mudanças no estilo de vida e como fazer novos amigos. A obra trabalha ainda com recursos que as crianças utilizam para lidar com as dificuldades, como amigos imaginários.

Os tesouros de Monifa

Como raríssimas vezes se viu na literatura infantil e juvenil brasileira, Os Tesouros de Monifa fala do encontro de uma brasileirinha afrodescendente com sua tataravó, Monifa, que chegou aqui de lá do outro lado do oceano, em um navio negreiro. Mesmo escrava, aprendeu a escrever e, por meio das letras que aprendeu, deixou “Para os meus filhos e os filhos dos meus filhos!” o maior de todos os tesouros que alguém pode herdar. Passado de geração em geração, chega o dia desse tesouro ir para as mãos da garotinha, que se encanta e emociona muito ao receber tamanha preciosidade e, com ela, descobrir a vida da sua tataravó e as suas próprias raízes.

O príncipe sem sonhos

Thiago era um príncipe que tinha tudo. Num consumismo irrefreável, o rei e a rainha davam-lhe todos os presentes que ele poderia ou não imaginar e desejar. Mas havia uma grande tristeza no coração de Thiago: ele queria ter um sonho. Vai pedir conselhos ao avô e encontra uma explicação: é dentro dele que está adormecido o sonho, basta despertá-lo.