Sopa de botão de osso

Sopa de Botão de Osso, mais conhecida entre nós como Sopa de Pedras, é um conto popular da tradição judaica. Com temática bastante atual, mostra como a solidariedade e a cooperação podem nos fazer sair bem de situações em que individualmente não conseguiríamos nada.

Os tesouros de Monifa

Como raríssimas vezes se viu na literatura infantil e juvenil brasileira, Os Tesouros de Monifa fala do encontro de uma brasileirinha afrodescendente com sua tataravó, Monifa, que chegou aqui de lá do outro lado do oceano, em um navio negreiro. Mesmo escrava, aprendeu a escrever e, por meio das letras que aprendeu, deixou “Para os meus filhos e os filhos dos meus filhos!” o maior de todos os tesouros que alguém pode herdar. Passado de geração em geração, chega o dia desse tesouro ir para as mãos da garotinha, que se encanta e emociona muito ao receber tamanha preciosidade e, com ela, descobrir a vida da sua tataravó e as suas próprias raízes.

Novas histórias antigas

Amor, astúcia, cobiça, honestidade, medo. Esses sentimentos e qualidades tão humanos alimentam há séculos histórias populares de tradição oral. Oriundas de culturas tão distintas quanto a árabe, a russa, a francesa, as narrativas de “Novas histórias antigas” trazem todo o fascínio desse mundo encantado que acompanha a humanidade ao longo dos séculos. Partindo de acurada pesquisa e de uma curadoria afetiva, Rosane Pamplona reuniu 14 histórias, nas quais trabalhou a linguagem e fez certeiras adaptações das originais para apresentar narrativas divertidas, surpreendentes e reflexivas sobre as aventuras e desventuras de personagens que habitam e refletem o imaginário coletivo.

Coelhos lunares

É outono, a Lua está como um anel e a menina não consegue encontrar seu coelho. Onde ele foi parar? Será que fugiu? Logo, a garotinha descobre que seu coelhinho está lá em cima, no céu, dentro da Lua. Mas como chegar lá? Será que ela vai conseguir reencontrar seu bichinho?

As 14 pérolas da Índia

Numa manhã crepuscular, o Deus Supremo olhou para a fileira de homens de barro e finalmente descobriu o local apropriado para esconder a chave da felicidade. – É isso! – gritou Brahma. – Os homens nunca vão pensar em procurar a chave da felicidade no lugar em que estou pensando em escondê-la.

As 14 pérolas da mitologia grega

A mitologia grega faz parte do nosso cotidiano, sem mesmo nos darmos conta disso. Quando falamos de cronômetro (Titã Crono), de algo afrodisíaco (deusa Afrodite), de um presente de grego (Cavalo de Troia), ou de uma sensação de Pânico (Pã), são todos repertórios advindos da mitologia grega. Conhecê-los é compreender como nossa mente funciona e visualizar a beleza da criação humana. O livro As 14 pérolas da mitologia grega apresenta alguns contos desta cultura, que ressoam de forma única naqueles que os ouvem..

As 14 pérolas budistas

Num templo budista, um monge queria porque queria alcançar a iluminação o mais rápido possível. Para isso, meditava mais que os outros, recitava mantras sem parar e jejuava mais do que o necessário. Com o passar do tempo, o jovem foi emagrecendo, seu aspecto era terrível, mas mesmo assim, continuava suas práticas sem esmorecer. Certa manhã, o mestre do templo interrompeu um mantra do seu ansioso aluno e perguntou: – Por que tamanha pressa, meu querido monge?