De repente

O besouro tinha uma amiga. Ela chegou, de repente, e se instalou com ele no alto do rochedo. Lá, todos os dias, eles faziam um piquenique e, ao entardecer, observavam a lua. A amiga, porém, sumiu – de repente. O besouro procurou, procurou, procurou até que, do alto do rochedo, de repente, pensou ter avistado a amiga do outro lado da floresta. Partiu, então, em uma jornada arriscada para encontrá-la. Mas será que é mesmo ela? Usando com maestria apenas o preto e o vermelho nas ilustrações, essa delicada fábula combina duas narrativas, a textual e a visual, para contar uma história de amizade cheia de nuances e camadas de leituras.

Eric faz tibum

Eric vive preocupado. O que seriam aqueles barulhos que ele ouve à noite? E se uma aranha estiver escondida dentro de seu sapato? Experimentar coisas novas também não é com ele. Por sorte, sua amiga Flora sempre inventa um jeito de ajudá-lo a lidar com seus medos. Mas o convite para uma festa na piscina pode pôr tudo a perder. Ele não sabe nadar! E agora? Será que Eric vai conseguir fazer tibum? Esse livro nos mostra que, com muita imaginação e com a ajuda dos amigos, podemos enfrentar mais facilmente os desafios do dia a dia.

Eu sou uma menina!

Determinada, esperta, cheia de atitude e energia, assim é a menina dessa história. E não é que muita gente a confunde com um menino?! Mas essa personagem nunca se dá por vencida: ela é uma menina! Anda de patinete, lê muitos livros, é uma ótima nadadora, adora música, gosta de uma bagunça, brinca de faz de conta com os amigos. Ela não para. E o livro segue o seu ritmo! Colorida, divertida e dinâmica, a obra prova que o mais importante é sermos o que somos e o que queremos ser!

A macaquinha

Na floresta, tudo parece grandioso demais para a macaquinha. Se tem algo que ela ouve por lá é: você é muito pequena para fazer isso. Mas quem disse que tamanho é documento? Um belo dia, ela decide se aventurar. E não é coisa pouca: a ideia é atravessar a floresta e o rio fundo para subir na árvore mais alta da mata. Se ela consegue? Claro que sim! Mas no caminho, cheio de desafios, ela também conta com uma fiel escudeira: a sorte!