Orelha de limão

“Era uma vez uma pequena ovelha, igual a todas as outras. Só uma coisinha nela era diferente: uma de suas orelhas era amarelo-limão.” Mas quanta diferença! Por conta desse pequeno detalhe, uma orelha amarelo-limão, nada dava certo para a ovelha e ela sofria muito.

Antonia

O dia mal começava e lá estava ela, Antonia, chacoalhando galhos com sua garganta afinada e convidando seu bando a pular dos ninhos: “Acordem, passarinhos. Venham cantar e assobiar”. Era isso todo dia de manhã. Antonia animada de cá, e o bando mal-humorado de lá. “Pare com isso! Queremos dormir!”. Ninguém aguentava a cantoria, mas Antonia nem ligava para as caras feias. No entanto, um dia ela se cansou e resolveu deixar a floresta. Foi assim que nasceu uma outra relação entre os amigos. A saudade bateu dos dois lados. E Antonia bolou um plano genial para ter certeza de que, na verdade, ela nada incomodava, pois seu destino era estar, de alguma forma, sempre por perto.

A macaquinha

Na floresta, tudo parece grandioso demais para a macaquinha. Se tem algo que ela ouve por lá é: você é muito pequena para fazer isso. Mas quem disse que tamanho é documento? Um belo dia, ela decide se aventurar. E não é coisa pouca: a ideia é atravessar a floresta e o rio fundo para subir na árvore mais alta da mata. Se ela consegue? Claro que sim! Mas no caminho, cheio de desafios, ela também conta com uma fiel escudeira: a sorte!