Sertão das arábias

Revisitando contos das Mil e uma noites, o autor e ilustrador Fábio Sombra cria uma obra original e inusitada, na qual personagens tipicamente brasileiros revivem, à sua maneira e com muito humor, algumas das histórias narradas por Sherazade. Divirta-se com as sete viagens do vaqueiro Sibá Romão, encante-se com o menino Raimundim e sua lamparina velha e conheça um gari chamado Vavá, que, sem querer, descobre um tesouro imenso guardado por um bando de cangaceiros.

Use a imaginação

Você nunca sabe aonde sua imaginação poderá te levar… O coelho está entediado. Ele gostaria muito que alguma coisa acontecesse. Um lobo sagaz – e prestativo – aparece com uma ideia brilhante: que tal usar a imaginação e criar uma história? O lobo, então, começa a criar uma história cujo final não parece muito feliz. Até que o coelho aprende, de fato, a usar o poder da imaginação, e o feitiço vira contra o feiticeiro de maneira surpreendente!

Os Bandeira-Pirata e o flautista bucaneiro

O flautista de Hamelin, narrativa popular recontada pelos irmãos Grimm, ganha uma versão pirata! No quarto livro da série “Os bandeira-pirata”, Mar-Nublado é tomada por ratos. Depois da visita de um enigmático flautista bucaneiro, o problema parece resolvido. Mas, um problema muito maior deixa a cidade aflita: da noite para o dia, todas as crianças desaparecem! E Fofa, a gata de Matilda, parece ser a única a saber de seu paradeiro.Com humor, essa nova aventura pirata, ricamente ilustrada, prende a atenção do leitor da primeira à última página.

O ratinho, o morango vermelho maduro e o grande urso esfomeado

Esta é uma divertida fábula sobre a esperteza dos pequenos contra a força dos gigantes. O ratinho que protagoniza as cenas tenta esconder um morango maduro de um grande urso que, aliás, não aparece na história. Um interlocutor oculto, mais esperto ainda que o rato (e com o qual a criança se identifica), é quem vai narrando a história, ao mesmo tempo que convence o ratinho a dividir o morango com ele.

O filho do Grúfalo

Apesar das advertências do pai, o filho do Grúfalo sai sozinho pela floresta durante uma noite fria e escura. Seu propósito é encontrar o grande e feio Rato Mau. Mas será que esse tal de Rato Mau, devorador de grúfalos, existe mesmo? Afinal, o que é fantasia e o que é real quando podemos utilizar nossa perspicácia para sobreviver?A inteligência, utilizada como método de sobrevivência por um ratinho indefeso, fez surgir O Grúfalo. Agora, O Filho do Grúfalo, a criatura inventada pelo pequeno roedor cria outra, num desdobramento criativo e surpreendente.

O grúfalo

Usando de astúcia e imaginação, um ratinho vai criando um monstro terrível e assustador, o Grúfalo, e diverte-se espantando seus predadores. Mas qual não é o seu espanto ao ver sua imaginação personificada à sua frente. O Grúfalo, de Julia Donaldson, é uma divertida fábula sobre os poderes da nossa imaginação. As bonitas ilustrações, de Axel Scheffler, complementam a graça do texto e convidam a acompanharmos o ratinho em seu passeio pela floresta.

O homem que contava histórias

O Homem que Contava Histórias é uma coletânea de histórias da tradição oral que privilegia os chamados ‘contos de artimanha’, em que a esperteza vence, e as narrativas são de caráter filosófico. O livro reúne 20 contos que procuram resgatar as tradições de diversas etnias: judaica, indiana, chinesa, uigur, persa, japonesa, sufista, italiana, grega, russa e brasileira. Rosane ousa dizer que muito do pouco que sabemos dos homens está nos mitos, nas lendas e em outras narrativas fabulosas que nos legaram. Por outro lado, muito do que eles mesmos sabiam sobre si e sobre o mundo era ensinado por meio dessas narrativas contadas de geração a geração.

O clube dos caçadores de códigos: o farol mal-assombrado

Cody, Quinn, Luke e M.E. adoram brincar com códigos. Na verdade, eles gostam tanto de códigos, que têm seu próprio clube particular, com um esconderijo secreto e senhas que mudam a cada dia. Quando Cody recebe um e-mail misterioso, que faz alusão a um tesouro na ilha de Alcatraz, o clube mal pode esperar para começar uma verdadeira caçada às pistas. E desvendar enigmas é o que os Caçadores de Códigos fazem melhor!

O duende da ponte

Para chegar à escola, Teo precisa atravessar uma ponte. Porém, embaixo da ponte mora um duende medonho e terrível, que cobra pedágio de quem quiser atravessá-la. Como Teo não tem dinheiro e precisa ir à escola, propõe ao duende um jogo de adivinhas e charadas. Se ganhar, terá o direito de atravessar a ponte sem pagar. Será que Teo conseguirá chegar à escola todos os dias?

Homem de lata

Premiada, esta aventura para jovens leitores oferece reflexões sobre os sentimentos, o mundo e suas metáforas: “Como algo que caiu do céu pode ser ruim?” A curiosidade pelo novo, o encantamento por quem é diferente e a relação de amizade entre o menino Sabiá e um robô que aterrissa no sertão pensando estar em Marte. Enquanto o robô estuda e explora o solo e a vegetação desse planeta estranho, Sabiá o observa, escondido dos pais. Dessa amizade inusitada, ambos os personagens aprendem o valor das relações e da troca de conhecimento. Bastante original, a obra une o universo do sertão ao da ficção científica e leva os jovens leitores a uma viagem por diferentes emoções e pontos de vista. Narrado por uma voz que compreende o dia a dia da família sertaneja e a surpresa do homem de lata, que acredita estar diante de alienígenas, o livro instiga e emociona.

Kalinda, a princesa que perdeu os cabelos e outras histórias africanos

“Os contos populares africanos me devolvem as raízes do mundo. E trazem (imaginariamente) as vozes ancestrais para sussurrarem nos meus ouvidos.”Neste surpreendente livro, o renomado autor e ilustrador Celso Sisto traz diversos contos do continente africano, por meio dos quais o leitor poderá explorar a riqueza da cultura dos diferentes povos que lá vivem.