Zeca zangado

Não é justo! Isto não é justo! Zeca é assim: não gosta nada dos planos que as pessoas têm para ele. Quando as coisas não saem como esperado, ele dá sempre um jeito de destruir tudo. Mas será que ele é mesmo “genioso”, como gostam de dizer, ou é assim porque ninguém procura saber o que ele quer de verdade? O problema é que Zeca não consegue nem defender seu ponto de vista. Quando não concorda com algo, vai logo soltando fogo pelas ventas e pondo tudo a perder, criando complicações para os amigos e a família. Até que uma ajudinha preciosa, vinda de quem o ama muito, faz com que ele possa compreender o que sente e lidar com suas emoções. Calma, Zeca. Respira!

Vira-lata

Vira-Lata traz à tona os sentimentos de solidariedade, compaixão e de amor que as pessoas deveriam ter com os indivíduos e também com os animais. Com a temática do amor, da amizade e da elevação da auto-estima e aguçada sensibilidade, o autor desperta no público infantil o sentimento de amor ao próximo, mesmo que seja por um animal. A situação das pessoas desabrigadas é retratada indiretamente, conforme se desenrola a história do cãozinho abandonado.

Você

Você nos convida a reconhecer o mundo através de música, cores, formas, tamanhos, movimentos, sentimentos… Com seus traços marcantes e texto leve, Stephen Michael King mostra a riqueza da simplicidade e das pequenas coisas.

Vulgar, o viking e o show de talentos tenebroso

Com o intuito de amenizar o longo inverno que teriam pela frente, o rei Olaf de Lorota anuncia a seus súditos a decisão de promover um show de talentos. Vulgar sabe que é a sua hora de brilhar. Ele apresentará sua música de “sovaco” ou fará algum malabarismo com cocô de alce? Não! Ele atuará como um lendário viking, com lutas, dragões, gigantes e todas aquelas coisas. E ele vai vencer! Não vai?

Sopa de botão de osso

Sopa de Botão de Osso, mais conhecida entre nós como Sopa de Pedras, é um conto popular da tradição judaica. Com temática bastante atual, mostra como a solidariedade e a cooperação podem nos fazer sair bem de situações em que individualmente não conseguiríamos nada.

Suspiros de luz

Poemas visuais, repletos de animais, iluminados por uma vasta gama de cores de aquarela. Um texto que mexe com os sentidos e revela, no poder da natureza, uma poesia sucinta, mas de grande impacto: o haicai. No novo livro de Roseana Murray, ilustrado por Walter Lara, o leitor certamente se encantará com 24 poemas deleitáveis, como este: “As gaivotas de prata/ Rabiscam o céu/ Voo e caligrafia.”

Tapajós

Cauã e Inauê vivem às margens do Jari, um pequeno canal que liga o rio Amazonas ao rio Tapajós, no estado do Pará. Os irmãos vivem em uma casa simples, de palafitas, com os pais e Titi, o jabuti de estimação da família. Mas o personagem principal do livro é, na verdade, o próprio cenário da pequena vila, que é de encher os olhos.

Todo mundo é misturado

Pablo, o novo menino da classe de Júlia, é boliviano. Curiosa, ela logo quer saber mais sobre ele, mas seus colegas de classe não tem uma opinião tão favorável sobre o aluno novo que veio de longe. Uma série de mal-entendidos e palavras trocadas em português e espanhol armam um cenário nada amigável para Pablo. Será que Júlia conseguirá ajudar o novo amigo e fazer todos entenderem que, no fundo, somos todos “misturados”?

Três

O cachorro Três é um grande explorador! Anda pela cidade com as suas três patas, sempre muito contente, fazendo amigos e aprendendo coisas novas. Ele descobriu, por exemplo, que as pequenas seis-patas, as formigas, têm casas subterrâneas e que a oito-patas, uma aranha, construiu sua casa lá no alto para se proteger do trânsito da cidade. Um dia, de farejada em farejada, ele foi parar no campo, onde conheceu outros animais com diferentes números de patas e, também, uma duas-pernas, a Flávia. Desvendando toda a riqueza que há nas diferenças, Três, do premiado autor Stephen Michael King, nos mostra a leveza e alegria de perceber que podemos ser felizes do jeito que somos!

Três tigres tristes

“Um tigre, dois tigres, três tigres! Três tigres tristes listrados dos trópicos trafegavam num trator, enquanto traçavam três travessas com trocentos trigos trazidos de Trieste por triunfantes trovadores de trava-línguas!” Fernando Vilela e Nina Barbieri escreveram este divertido livro juntos. A ideia nasceu quando brincavam de falar rápido o famoso trava-língua dos tigres. Depois, resolveram continuar a história nos almoços diários. Para ilustrar o livro, Fernando usou lápis para desenhar, carimbo de borracha para fazer os coqueiros e o computador para colorir.Título assinado pelo premiado autor e ilustrador Fernando Vilela.Obra traz um trava-línguas que instiga crianças e adultos a reproduzi-lo em voz alta,sem errar, tornando tudo uma grande brincadeira.Ganhador do selo Altamente Recomendável FNLIJ.