Pedro e o portal

Era um domingo de setembro. Miguel e seu irmão mais velho, Pedro, brincavam animadamente de esconde-esconde na sala de casa. Uma cena comum, que poderia se passar com qualquer família, não fossem alguns detalhes: o ano era 1810, a casa era um palácio no Rio de Janeiro e os meninos eram nosso futuro primeiro imperador Pedro I e seu irmão. Pois é justamente nesse momento que se abre um buraco no meio da sala. Assustado, Miguel chama Pedro que, brandindo sua espada de brinquedo, entra no túnel. Onde vai dar a passagem? No Museu Nacional, no ano de 2018! Assim começa este romance histórico para jovens leitores, com todos os elementos capazes de prender a atenção do pré-adolescente: uma narrativa ágil, levemente distópica, repleta de aventura, mistério e situações cotidianas com as quais se identificar.

O mistério do colecionador

Um grupo de amigos que adora desvendar enigmas acaba envolvido em um verdadeiro caso policial. Cíntia, Julinha e Heitor estavam prontos para se divertir desbravando a Mata Atlântica na excursão de sua escola ao Sítio Rio Azul. Tudo parece ir muito bem até eles descobrirem que um traficante de animais silvestres tem outros planos para a excursão. Nessa aventura surpreendente, o leitor não vai parar um segundo. Se quebrar os códigos criados pelo professor Pedro, espalhados pela trilha no meio da mata, já é um grande desafio, imagine ter de enfrentar um misterioso e cruel colecionador de animais e seus perigosos comparsas.